6 dicas para fazer a logística de alimentos

A logística é uma das partes mais importantes para qualquer empresa: este é o setor responsável por integrá-la com os seus clientes e fornecedores.

No caso da logística de alimentos, essa etapa é ainda mais crítica, uma vez que esses produtos exigem cuidados especiais que visam garantir a segurança do consumidor e o cumprimento da legislação.

Quando a logística de alimentos é feita de forma inadequada, podem ocorrer prejuízos financeiros ou até mesmo danos à imagem da empresa.

Para evitar que isso aconteça, apresentamos 6 dicas para fazer a logística de alimentos.

#1 – Embalagem adequada

Embalagens alimentícias são desenvolvidas para manter a integridade do alimento de forma que este mantenha suas características sensoriais e aspecto de segurança alimentar até chegar à mesa do consumidor.

Na logística de alimentos, o acondicionamento como um todo deve ser feito com atenção, buscando sempre usar embalagens adequadas. Esta não se limita apenas ao material que envolve o alimento, mas também diz respeito a contentores, bandejas, pallets e containers.

#2 – Higienização de estoques

O armazenamento é um ponto crítico para a logística de alimentos. Isso porque esta etapa envolve bastante manuseio destes, o que aumenta a chance de danificar alguma embalagem ou ocorrer alguma contaminação.

A forma como os produtos são estocados não pode priorizar apenas o máximo aproveitamento do espaço. Para a logística de alimentos é importante que haja espaços vazios visando garantir a ventilação no estoque. As instalações devem ser higienizadas com frequência e devem seguir as recomendações da ANVISA.

#3 – FIFO

Para o armazenamento de alimentos é preciso seguir a regra conhecida como FIFO – First In First Out. Ou seja, é preciso ter atenção para que os produtos cujo prazo de vencimento esteja próximo, sejam os primeiros a serem expedidos.

Este cuidado evita perdas por produtos vencidos que foram esquecidos no estoque. Para garantir que essa regra seja seguida e otimizar o controle na logística de alimentos é recomendado o uso de um software de gestão de estoque.

#4 – Treinamento de manipuladores de alimentos

É fundamental que os colaboradores envolvidos com a logística de alimentos compreendam as consequências de suas ações e atitudes que podem comprometer a segurança do alimento durante o transporte e armazenamento.

O treinamento para manipuladores de alimentos, normalmente direcionado àqueles que lidam diretamente com este, é uma capacitação também interessante para os colaboradores envolvidos com a logística de alimentos.

#5 – Cuidados no Transporte

O transporte é a fase mais vulnerável na logística de alimentos, devido principalmente às oscilações de temperatura e manuseio inadequado de alimentos.

É importante garantir que caminhões refrigerados ou isotérmicos cumpram adequadamente com a sua função e que operações como recebimento e expedição sejam feitas de forma eficiente, evitando exposição desnecessária dos alimentos.

#6 – Sistema de código de barras para logística de alimentos

Trabalhar com códigos de barras associado a um software para gestão de estoque, traz uma série de vantagens para a logística de alimentos: orienta o FEFO, facilita a identificação e faz com que as atividades de armazenamento e transporte sejam mais eficientes.

Ao trabalhar de forma mais ágil, o tempo de exposição dos produtos à condições críticas – durante recebimento e expedição, por exemplo – é também reduzido, diminuindo os riscos de comprometer a segurança dos alimentos.

E então? Gostou das nossas dicas? Se você ficou com alguma dúvida em relação à logística de alimentos, entre em contato com a nossa equipe.

Facebook
Facebook
LinkedIn