Uberização da logística: entenda essa tendência

O Uber não apenas revolucionou o transporte urbano, ele acabou se tornando um conceito de tecnologia e serviços. O termo “uberização” é aplicado para serviços em que fornecedores e clientes possuem contato direto. E o papel da tecnologia é o de mediadora para empresas e clientes. Esse modelo de negócios não apenas está revolucionando o transporte, mas também o mundo dos negócios. 

Este modelo de negócios está impactando diretamente também o setor de logística. Ele teve início com micro e pequenas empresas, que contratavam terceirizados e profissionais autônomos para fazer suas entregas e outros serviços relacionados. Rapidamente, esse conceito foi expandido para grandes lojas, a indústria e até mesmo grandes distribuidoras. 

Gostaria de entender como funciona a “uberização da logística”? Então leia o artigo e fique por dentro desta tendência. 

O fenômeno da uberização

Sem possuir um único carro, o Uber vem transformando a mobilidade urbana. O serviço tomou o espaço dos táxis nas grande metrópoles do mundo — o número de Ubers em Nova York já é maior que o de táxis — por ser um serviço extremamente prático, de boa qualidade e com preço competitivo.

A boa qualidade é devido principalmente ao fato dos passageiros avaliarem o serviço e os motoristas com notas abaixo de um limite serem descredenciados. Já os preços competitivos se devem ao fato de que o aplicativo conecta uma viagem em outra, fazendo com que o tempo que o motorista fica de carro vazio seja o mínimo possível. Isso não apenas reduz o preço da viagem para os passageiros como aumenta o lucro para o profissional.

A uberização da logística é a aplicação desse modelo de negócios neste setor: ela acontece por meio da contratação de caminhões independentes que prestam serviços de transporte de forma rápida, eficiente e de menor custo. Isso por que eles estão conectados com diferentes clientes, o que reduz ao máximo a movimentação de caminhões sem cargas. 

Com isso, a industria, o comércio e demais setores da economia que dependem da logística podem utilizar um serviço com maior qualidade, agilidade e preço competitivo. Bacana, não é mesmo?

Cenário atual da uberização da logística

Diante desse contexto de uberização da logística, a Amazon — gigante do comércio eletrônico — lançou há mais de 2 anos o Flex. Trata-se de uma plataforma que conecta fornecedores de bens com pessoas que queiram realizar entregas. Toda a operação ocorre por meio de smartphones. O sucesso foi tão grande que o sistema já opera em mais de 50 cidades dos EUA.

Outro exemplo, focado em mercados emergentes, é a Shippify que aplica os conceitos de economia colaborativa para conectar empresas e motoristas que realizam entregas.

Assim como a Uber, o foco da Shippify está em prover um serviço de excelente qualidade de forma mais pessoal, oferecendo custos reduzidos de operação para o cliente. Ele também incentiva a colaboração entre motorista e cliente para que a entrega seja feita de forma assertiva.

Como se inserir nessa tendência

O fenômeno da uberização da logística e de outros setores da economia se deve ao crescimento de plataformas que eliminam intermediários e conectam prestadores de serviços diretamente aos clientes finais.

Este modelo de negócio é muito tentador, principalmente devido aos benefícios já citados. Mas antes de abraçar essa tendência é preciso que sua empresa esteja também alinhada com outras tecnologias.

De nada adianta terceirizar serviços através da uberização da logística se o seu controle de estoque é falho. Ou se ocorrem situações como dificuldades para encontrar uma determinada mercadoria no estoque (se para os funcionários é difícil, imagine como seria para uma pessoa “de fora”?).

Para que uma organização possa tirar proveito desse novo modelo de negócios, é preciso que seus estoques estejam organizados e precisos, seus produtos sejam facilmente identificados e endereçados. O uso de um sistema de gerenciamento de estoques é essencial nesses casos.

E então, você já havia ouvido falar do fenômeno de uberização da logística? Se você gostou desse artigo, inscreva-se na nossa newsletter para ficar informado sobre dicas e tendências para o seu negócio!

Facebook
Facebook
LinkedIn