Curva ABC: uma aliada na gestão de estoque

Hoje, você saberia responder de imediato quais os produtos mais estratégicos dentro do seu estoque? Ao fazermos essa pergunta, na verdade, queremos mostrar que uma gestão realmente eficiente deve se basear em dados, fornecidos por novas tecnologias, ferramentas e métodos, como é o caso do sistema WMS e da curva ABC. 

Por isso, como especialistas em soluções para o supply chain, resolvemos preparar este post, destacando o que é a curva ABC, como essa metodologia funciona associada a um bom sistema de gestão de estoque e quais os principais impactos gerados dentro da cadeia de suprimentos. Que tal conferir?

Veja também: Como funciona um sistema WMS

Afinal, o que é curva ABC dentro da gestão de estoque? 

A curva ABC é um método que visa categorizar os itens dentro de um estoque, levando em consideração a “importância” deles na cadeia. Em outras palavras, o objetivo é identificar quais são as peças de maior impacto e, consequentemente, posicioná-las de forma mais estratégica para diversos fins. 

Por exemplo, é possível criar uma curva ABC por “exposição de risco”, a fim de se reduzir as perdas do estoque; por “volume de venda”, para mensurar quais itens saem com mais frequência das prateleiras; por “valor de peça”, com o intuito de identificar o impacto financeiro de cada produto; etc. 

Ou seja, há uma imensa flexibilidade de formatos para se trabalhar a curva ABC dentro de uma gestão de estoque. Sabendo disso, veremos a seguir o modelo mais popular utilizado pelas empresas, baseado no sistema de Pareto.

  • classe A: produtos de maior importância, quantidade ou valor com mais impacto, correspondendo a 20% do total do estoque; 

  • classe B: produtos de importância, quantidade e valor intermediário, correspondendo a 30% do total do estoque; 

  • classe C: produtos de menor importância, quantidade ou valor, correspondendo a 50% do total do estoque. 

Evidentemente, essa mensuração pode variar em cada negócio e não existe um padrão. Apenas se refere a um modelo mais popular e comum. 

Curva ABC na gestão de estoque

Na prática, como um sistema WMS ajuda a montar uma curva ABC? 

Em tempos de logística 4.0, criar uma curva ABC de forma manual ou baseada apenas em intuições do gestor é algo simplesmente em desuso e sem qualquer eficiência para a gestão de estoque.  

Sistemas avançados e automatizados — como um WMS —, associados ao uso eficaz de coletores de dados, possibilitam realizar funções e transmitir informações relacionadas a cada item, de forma imediata e completamente confiável, garantindo muito mais otimização e estratégias precisas para a sua gestão de estoque. 

Para você ter uma ideia, um sistema WMS permite controlar itens de forma parametrizável, levando-se em consideração dados imprescindíveis como data de validade, número de lote, valor e tipo de embalagem. Tudo em poucos segundos e sem erros. 

Veja também: Conheça as principais funcionalidades do AUTOLOG WMS

Tudo isso facilita nas estratégias da gestão, e não só na mensuração e alocação dos itens mais importantes dentro da curva ABC, mas em todas as etapas do supply chain, desde a identificação do produto que chega no armazém até a sua devida expedição. 

Resumidamente, a curva ABC é uma das metodologias mais eficientes dentro de uma boa gestão de estoques e o sistema WMS é uma ferramenta essencial para criá-la e trabalhá-la de forma eficaz.  

Porém, como dissemos acima, as funções de um sistema WMS vão muito além das possibilidades de uma curva ABC, garantindo uma gestão completa de todas as etapas de uma cadeia de suprimentos e proporcionando benefícios como redução de custos e de perdas, aumento da produtividade e experiência única. 

Sendo assim, convidamos você a conhecer um pouco do AUTOLOG WMS. Agende uma apresentação sem compromisso com um especialista e entenda como a nossa tecnologia pode se tornar a principal solução para a sua gestão de estoque!